Blog

Boomer, X, Y e Z: quais são as formas de se comunicar com cada geração

Publicado em: 13/05/2021

Cada geração tem uma maneira de se comunicar que influencia diretamente em seus hábitos de consumo e no que essas pessoas entendem como boas experiências de compras. Mas, como as lojas de varejo, que atendem todo tipo de público, devem olhar para as preferências de cada geração? Como fazer para se aproximar adequadamente desse público? É sobre isso e mais que vamos falar nesse post.

 

O universo digital já não é mais uma total novidade

De acordo com pesquisa da Deloitte – Global Millennial Survey 2020 -, a pandemia alterou os hábitos de consumo de conteúdo de todas as pessoas, mas, especialmente, dos integrantes da Geração Z, os nativos digitais. Porém, de uma maneira geral, a grande maioria está com um pé ou os dois no ambiente on-line.

Em matéria divulgada pelo site Consumidor Moderno, a jornalista do veículo, com base em percepções de especialistas, faz algumas considerações interessantes sobre o perfil de cada público:

 

Geração Boomer (nascidos entre 1945 e 1964)

Com algumas exceções, os integrantes da Geração Boomer se informam prioritariamente pela televisão. Na pandemia, porém, aumentaram o consumo de conteúdo digital e o uso de plataformas e aplicativos de comunicação como forma de se manterem conectados ao mundo. Como trata-se de um público que varia muito no quesito independência, o atendimento 60+ precisa ser diferenciado.

 

Geração X (nascidos entre 1965 e 1984)

Mais habituados aos conteúdos digitais, em comparação aos Boomers, os integrantes da Geração X têm usado bastante o whatsapp, as plataformas e os aplicativos para fins pessoais e profissionais.

 

Geração Y (nascidos entre 1985 e 1999)

Testemunhas da evolução tecnológica, os integrantes da Geração Y têm transitado cada vez mais pelo ambiente on-line, seja em redes sociais, sites, aplicativos ou plataformas de streaming e comunicação.

 

Geração Z (nascidos a partir de 2000)

Nativos digitais, os integrantes da Geração Z transitam confortavelmente pelo ambiente digital e são naturalmente muito abertos a novidades e inovações, com grande facilidade de se adaptar a elas, principalmente em se tratando de processos desburocratizados.

 

As estratégias de comunicação precisam contemplar o on-line e o off-line

As lojas físicas seguem como preferência dos brasileiros na hora de concretizar suas compras, representando 81% dos valores comercializados em 2020, conforme mapeamento do Itaú. Porém, não podemos ignorar a alta de 19,4% do varejo digital no mesmo período, uma realidade com potencial para crescer e se solidificar com o prolongamento da pandemia.

Nesse cenário, a melhor estratégia é promover estratégias de comunicação que contemplem os dois ambientes:

 

Mundo físico ou off-line

Dentro do PDV, sem descuidar das boas práticas do layout das lojas de varejo, o cartaz também deve ser visto como prioridade. Afinal, ele é o principal canal de comunicação entre o PDV e o cliente. Por isso, é fundamental que eles estejam estrategicamente posicionados e visualmente intactos. É importante, ainda, que o conteúdo dessas peças não tenha erros gramaticais ou de informação e digitação, além de estarem dentro dos padrões exigidos pelo Procon.

Para garantir tudo isso e ainda agregar ao processo agilidade e economia de recursos financeiros e de mão de obra, recomendamos a adesão ao cartazista eletrônico, software para a criação de cartazes, que opera em cloud computing, podendo ser acessado por colaboradores de diferentes unidades da rede. Essa ferramenta é, inclusive, um ótimo caminho para otimizar a mão de obra do cartazista profissional.

 

Mundo virtual ou on-line

Mesmo à distância é possível manter os clientes informados sobre as ofertas do estabelecimento e informá-los sobre a chegada e reposição de produtos. Faça isso por meio do aplicativo Upsell, que conecta lojistas ao Tagsell Cartazista Eletrônico, permitindo criar ofertas do estabelecimento e compartilhá-las nas redes sociais.

Nas comunicações on-line tenha o cuidado de utilizar fotos dos produtos que condizem com a realidade, além de caprichar na descrição do item. Não se esqueça de manter a clareza quanto às etapas do processo de compra, taxa de frete e prazo de entrega.

Quando o assunto é experiência de compra ou marketing de varejo, a confiança é tudo para o cliente e deve ser prioridade para o PDV também. Afinal, ninguém quer ver a marca do estabelecimento ser exposta nas redes sociais ou no “boca a boca” de maneira negativa, não é mesmo? O cliente satisfeito sempre retorna e, na melhor das hipóteses, ainda traz mais gente com ele.

Agende um bate-papo com a gente para que possamos te mostrar todos os benefícios do cartazista eletrônico e do Upsell.

 

Contato