Blog

Vale a pena estruturar uma operação e-commerce?

Publicado em: 16/07/2020

A pandemia acelerou a transformação digital no mundo, incluindo o comércio. Aderir a soluções de tecnologia que elevem a experiência do cliente e otimizem a operação não é mais uma tendência, mas sim questão de sobrevivência. Até mesmo porque o perfil do consumidor está mudando. De acordo com uma pesquisa do Ibope Inteligência, encomendada pelo Facebook IQ, 28% das pessoas no Brasil têm feito mais compras pela internet desde o início da pandemia.

Considerando todas essas informações, chegamos à seguinte conclusão: sim, o seu comércio precisa de um e-commerce, principalmente em época de distanciamento social. Vamos falar mais sobre isso?

 

Transformação digital é mais do que um site

Aderir à transformação digital não quer dizer apenas ter um site. No caso do comércio, além de automatizar e desburocratizar algumas ações rotineiras, como a produção de cartazes para promoção de vendas, há espaço para vender mais por meio do e-commerce, com o impulso de ações nas redes sociais e cartaz para WhatsApp, além de parcerias com aplicativos de entrega. Em mercados mais maduros já se defende o autosserviço e a autonomia das lojas e utiliza-se o e-wallet, entre outras modernidades. Aliás, é importante ressaltar que um passo importante da transformação digital é estimular a mudança do mindset na companhia.

 

Mesmo com o e-commerce, o seu espaço físico continua sendo útil

As lojas virtual e física de um mesmo comércio devem ser parceiras e não concorrentes. Para isso, elas devem ter as mesmas práticas comerciais para que o cliente se sinta livre para comprar do lugar que melhor lhe convier. Com o tempo, porém, a tendência é que nos PDVs estejam disponíveis para compras imediatas apenas itens de oportunidade, de acordo com o estilo de vida do consumidor local. Nesse novo cenário, os demais produtos estarão representados via QR Code e disponíveis na loja virtual.

 

Prepare a equipe para esse novo momento

Com a consolidação da transformação digital, saem de cena os tiradores de pedidos para dar lugar aos vendedores especializados com perfil consultivo. Estes, se diferenciam por terem habilidade, capacidade e interesse de encontrar soluções para os problemas do cliente, vendendo algo que agregará valor para a vida das pessoas e não apenas o produto ou serviço desejado. Dessa forma, comece a estimular o protagonismo desses colaboradores no PDV. Exalte a importância por trás da iniciativa de se qualificar para assumir funções mais estratégicas na loja.

 

Economize na comunicação visual

Se o objetivo é otimizar a operação no PDV, considere também aderir ao cartazista eletrônico, software para produzir cartazes, desenvolvido em uma plataforma auto explicativa. Tudo em ambiente online, com agilidade, padronização e economia de recursos. E, tão importante quanto: sem a necessidade de demitir o seu cartazista profissional.

As características do novo normal já começam a ser apresentadas. O comércio que estiver mais alinhado a essa realidade, certamente estará em vantagem.

 

Contato